A mera veiculação, ou reprodução de matérias e entrevistas deste blog não significa, necessariamente, adesão às ideias neles contidas. Tal material deve ser considerado à luz do objetivo informativo deste blog, não sendo a simples indicação, ou reprodução a garantia da ortodoxia de seus conteúdos. Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica desnecessária será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Não serão aprovados os comentários escritos integralmente em letras maiúsculas, ou CAIXA ALTA. A edição deste blog se reserva o direito de excluir qualquer artigo ou comentário que julgar oportuno, sem demais explicações. Todo material produzido por este blog é de livre difusão, contanto que se remeta nossa fonte.
Home » » Lúcifer era Músico ? O que dizem as escrituras sobre isto ?

Lúcifer era Músico ? O que dizem as escrituras sobre isto ?

Written By Beraká - o blog da família on segunda-feira, 8 de julho de 2013 | 22:44



I – ARGUMENTAÇÃO CONTRA:





Alguns textos bíblicos são usados para provar a idéia de que Satanás era músico; veja Ezequiel 28,13-15:





“Estiveste no Éden, jardim de Deus; cobrias-te de toda pedra preciosa: a cornalina, o topázio, o ônix, a crisólita, o berilo, o jaspe, a safira, a granada, a esmeralda e o ouro. Em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados. Eu te coloquei com o querubim da guarda; estiveste sobre o monte santo de Deus; andaste no meio das pedras afogueadas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que em ti se achou iniqüidade.”


A passagem acima literalmente faz parte de um juízo proferido sobre o rei de Tiro, portanto, a intenção original de Ezequiel não é tratar de Lúcifer em seu estado não caído e por isso, precisamos respeitar o contexto. Mesmo que haja certos paralelos entre a altivez do rei de Tiro e Lúcifer, a linguagem não trata deles de forma literal. Por exemplo, porque o texto trata de instrumentos musicais, alguns concluem que isso se refere ao dom musical de Lúcifer no céu, enquanto outros até vêem aí uma prova de que havia “tambores” no céu. Mas a linguagem aqui é poética, simbólica e metafórica e o hebraico é de difícil tradução e inconclusivo ao falar de instrumentos, é necessária a cautela.




Podemos, no entanto, aplicar os princípios da queda do rei de Tiro como símbolo da queda de Lúcifer, já que há alguns paralelos óbvios, tais como “eras o selo da perfeição, cheio de sabedoria e perfeito em formosura” (v. 12). 




Mas ao mesmo tempo em que há paralelos, há também disparidades entre os dois personagens que nos impedem de criar um paralelo literal entre cada elemento do texto de Ezequiel com Lúcifer. Assim, tentar literatizar a passagem de Ezequiel nos traz dificuldades já que se Lúcifer era músico e tocava “tambores e pífaros” (v. 13) no céu, então ele também era coberto de joias preciosas literalmente, se engajou em “comércio” lá (v. 16, 18), profanou os seus próprios “santuários” (v. 18) e Deus o expulsou em direção à “terra” (que supostamente ainda não havia sido criada!) e o expôs perante “reis” (v. 16, 17). 




O disparate exegético deveria ser óbvio!




Concluir, portanto, que Lúcifer era regente do coro celestial ou até mesmo músico com base nos instrumentos citados na passagem de Ezequiel é forçar o texto bíblico. Isso não quer dizer necessariamente que Lúcifer não era músico no céu, a Bíblia contém muitas cenas de louvor oferecido pelos anjos a Deus. Mas querer precisar que função Lúcifer tinha no céu é ir além da revelação.




O outro texto utilizado por quem quer dar fundamentação bíblica a esta tese é Jó 38,4-7, que mostra que fala do “coro celestial”:


“Onde estavas tu, quando eu lançava os fundamentos da terra? ... quando juntas cantavam as estrelas da manhã, e todos os filhos de Deus bradavam de júbilo?”



O texto pode estar se referindo a um coro de anjos cantando nas eras sem fim da eternidade, mas não trata de Lúcifer em específico. Acima de tudo, assim como Ezequiel, o texto de Jó é poético e simbólico.Nada contra a priori com a ideia de que Lúcifer possa ter sido "regente do coro celestial", assim como não teria problema com a ideia de que ele possa ter sido compositor, pintor, escultor ou mesmo arquiteto das cortes celestiais. O problema é ter base escriturística literal para fundamentar tais afirmações.


A ideia de que Lúcifer tinha a função específica de "regente" do coro celeste, também esbarra em alguns problemas lógicos:


1)- O primeiro deles é o tamanho do coro celeste; se houvesse mesmo a necessidade de um regente, deveria haver milhares de sub-regentes para um coro de milhares, milhões ou bilhões de anjos, como ocorre com grandes corais aqui. 




2)- O segundo problema é que a necessidade de um regente nos moldes de um diretor de coral terrestre fere o conceito bíblico de que os anjos são perfeitos em todos os sentidos e superiores ao homem (Salmo 8,5; Heb 2,7). Por quê? Anjos perfeitos em poder não devem necessitar de um regente que indique o compasso, mudanças de dinâmica, cadência, rallentandos, pianissimos ou mezzo fortes, se é que a música celeste sequer pode ser descrita nos moldes terrestres!




3)- Nem mesmo deve ser necessário que alguém lhes dê a “primeira nota” nos padrões de um regente terrestre, como se os anjos precisassem disso para se manterem no tom. Existem seres humanos que possuem o que chamamos de “ouvido absoluto”, ou seja, não precisam que ninguém lhes toque ao piano ou sopre num diapasão um Dó ou Fá, eles ouvem a nota automaticamente em seu ouvido e cantam no tom. Quanto mais os anjos que foram criados de forma superior ao homem! E até mesmo em nossa esfera decaída, há muito coral profissional por aí que não necessita de regente. Creio que deu para entender os problemas com uma leitura rígida da passagem em questão.




Se Lúcifer era ou não "regente do coro celestial" é irrelevante, já que ele não caiu de sua elevada posição por rebelião ao governo de Deus em questões musicais.Assim, devemos ler a passagem sobre Lúcifer e o coro celeste mais por sua força retórica sobre a exaltação e subsequente queda de Lúcifer, e não como uma declaração de qual função musical ele exercia no céu ou como é realizada a música celeste.




Cabe aqui também uma palavra de exortação:





Infelizmente, a intenção de muitos que usam a passagem de Satanás como suposto “regente do coro celeste” é quase sempre demonizar (literalmente) a música sacra ou profana contemporânea. Ouvem-se afirmações do tipo “Satanás é músico, temos que ter cuidado com avanços na música.” Assim, cria-se um espantalho ao redor da música e estilos musicais os quais não nos identificamos para coibir, oprimir e ostracizar músicos. Os músicos ficam restritos e sem liberdade para trabalhar estilos musicais porque sempre correm o risco de se tornar culpados por associação com Lúcifer, o músico por excellence, o “regente do coro celeste”. Com certeza Satanás deve ter um vasto conhecimento da música celeste e bem como da terrestre, mas ele não foi originador da música, Deus o é. Não entreguemos a Satanás algo que pertence a Deus, o dom da música, e não façamos os músicos da Igreja culpados por associação porque um suposto “regente do coro celeste” caiu em rebelião.


Com estes nossos pré julgamentos baseados em gostos e preferências pessoais caímos em extremos na questão da música sacra, julgando a intenção dos nossos irmãos músicos, impondo nossas ideias pessoais do que Deus aceita ou não ("Se eu não gosto deste estilo, Deus não gosta também"), criticando e condenando.





II – ARGUMENTO FAVORÁVEL:








Ezequiel 28 nos diz sobre Lucifer (heilel ben-shachar em hebraico) que:



Ele pertence a ordem dos Querubins, e "a obra dos teus tambores e de teus pífaros estava em ti: no dia em que foste criado foram preparados." Lúcifer era um músico mestre. Ele deveria usar este dom para a glória de Deus, mas quando se rebelou contra o Senhor e teve que ser expulso do Céu ele prostituiu este dom e começou a usá-lo para o mal ao invés do bem.




A palavra “da guarda”, em Ezequiel 28,14-16, significa literalmente “quem conduz”, visto que, antes da queda de Lúcifer não havia inimigos e nem nada para ser guardado.Ou seja ,ele conduzia a adoração a Deus o que leva a pré-supor que como aferidor de medida ele era o lider em adoração,o querubim mais proximo da perfeição e do amor de Deus.




O texto bíblico ainda comenta sobre “a obra dos tambores e pífaros”. Sua influência na área da música fica clara e nos mostra que Lúcifer era, provavelmente, quem conduzia a orquestra celestial. Podemos afirmar que de música o diabo entende muito e soube, por algum tempo, como agradar o Senhor com seus louvores. O louvor e a adoração têm que ser prestado com o devido respeito ao Senhor, lembre-se dos Serafins (Is 6). Havia postura, reverência e temor naquela adoração e se os anjos preocuparam-se com isso.



“Tu eras querubim da guarda ungido, e te estabeleci; permanecias no monte santo de DEUS, no brilho das pedras andavas”. 








Aqui precisamos considerar três coisas:



1º.O ser “ungido”, significava que ele era escolhido para um propósito especial.




2º.Enquanto “querubim” parece ser a patente mais elevada dos seres celestiais que assentam mais próximo do trono de DEUS e conduzem a adoração. 




3º.A expressão “da guarda” no hebraico fala de “cercar”, “proteger”, “cobrir”. Parece que a idéia que temos é que ele regia a adoração dos seus subordinados diante de DEUS.


As referências não são muito claras pois são contextuais. Estudando porém, as traduções do hebraico e um pouco de teologia (exegética),podemos chegar a essas conclusões de maneira mais profundas e claras.





“LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO”




*Caso queira saber mais e participar de nosso apostolado, bem como agendar palestras e cursos em sua paróquia, cidade,pastoral, e ou movimento da Igreja, entre em contato conosco  pelo e-mail: 



filhodedeusshalom@gmail.com
 



Curta este artigo :

+ Comentário. Deixe o seu! + 22 Comentário. Deixe o seu!

legal bom forte isso

3 de novembro de 2015 14:31

A NVI traduziu "13 Você estava no Éden, no jardim de Deus; todas as pedras preciosas o enfeitavam: sárdio, topázio e diamante, berilo, ônix e jaspe, safira, carbúnculo e esmeralda. Seus engastes e guarnições eram feitos de ouro; tudo foi preparado no dia em que você foi criado." Não há referência a música aqui. O que acha desta tradução?

4 de novembro de 2015 22:55

Prezado Andre,

Independente da tradução, simplesmente concluir que Lúcifer era regente do coro celestial ou até mesmo músico com base nos instrumentos citados na passagem de Ezequiel é forçar o texto bíblico.

Isso não quer dizer necessariamente que Lúcifer não era músico no céu, a Bíblia contém muitas cenas de louvor oferecido pelos anjos a Deus. Mas querer precisar que função Lúcifer tinha no céu é ir além da revelação.

O outro texto utilizado por quem quer dar fundamentação bíblica a esta tese é Jó 38,4-7, que mostra que fala do “coro celestial”:

“Onde estavas tu, quando eu lançava os fundamentos da terra? ... quando juntas cantavam as estrelas da manhã, e todos os filhos de Deus bradavam de júbilo?”

O texto pode estar se referindo a um coro de anjos cantando nas eras sem fim da eternidade, mas não trata de Lúcifer em específico. Acima de tudo, assim como Ezequiel, o texto de Jó é poético e simbólico.

Nada contra a priori com a ideia de que Lúcifer possa ter sido "regente do coro celestial", assim como não teria problema com a ideia de que ele possa ter sido compositor, pintor, escultor ou mesmo arquiteto das cortes celestiais.

O problema é ter base escriturística literal para fundamentar tais afirmações.

Satanás era "regente" do coro celeste, a ideia de que Lúcifer tinha esse função específica também esbarra em problemas lógicos.

1)- O primeiro deles é o tamanho do coro celeste; se houvesse mesmo a necessidade de um regente, deveria haver milhares de sub-regentes para um coro de milhares, milhões ou bilhões de anjos, como ocorre com grandes corais aqui.

2)- O segundo problema é que a necessidade de um regente nos moldes de um diretor de coral terrestre fere o conceito bíblico de que os anjos são perfeitos em todos os sentidos e superiores ao homem (Salmo 8:5; Heb 2:7). Por quê?Anjos perfeitos em poder não devem necessitar de um regente que indique o compasso, mudanças de dinâmica, cadência, rallentandos, pianissimos ou mezzo fortes, se é que a música celeste sequer pode ser descrita nos moldes terrestres!

3)- Nem mesmo deve ser necessário que alguém lhes dê a “primeira nota” nos padrões de um regente terrestre, como se os anjos precisassem disso para se manterem no tom. Existem seres humanos que possuem o que chamamos de “ouvido absoluto”, ou seja, não precisam que ninguém lhes toque ao piano ou sopre num diapasão um Dó ou Fá, eles ouvem a nota automaticamente em seu ouvido e cantam no tom. Quanto mais os anjos que foram criados de forma superior ao homem! E até mesmo em nossa esfera decaída, há muito coral profissional por aí que não necessita de regente. Creio que deu para entender os problemas com uma leitura rígida da passagem em questão.

Se Lúcifer era ou não "regente do coro celestial" é irrelevante, já que ele não caiu de sua elevada posição por rebelião ao governo de Deus em questões musicais.

Assim, devemos ler a passagem sobre Lúcifer e o coro celeste mais por sua força retórica sobre a exaltação e subsequente queda de Lúcifer, e não como uma declaração de qual função musical ele exercia no céu ou como é realizada a música celeste.

Shalom !!!

12 de novembro de 2015 23:41

Então,vocês estão totalmente decididos a dar a honra ao anjo caído,que falta do que fazer!!!!!

13 de novembro de 2015 09:07

Prezado Sr de bons negócios mal acabados,

A dedução idiota é sua e não nossa, prove-nos com fatos e dados onde está esta nossa decisão supra citada por você ?

A você se aplica o ditado: " Católico ignorante, futuro protestante..." Se é que não se tornou...


Shalom !!!

15 de novembro de 2015 01:14

Muito bom. Mas a melhor e mais provável comparação com o rei de Tiro não é com "Lúcifer". Façamos umas perguntas. Biblicamente, que estava no éden? Quem ao ser criado era incorruptível, sem iniquidade (sem falha, perfeito em teus caminhos)? "Tu eras como o querubim da guarda (comparando, não dizendo que era). Quem era responsável para cuidar de toda a criação? Acho mais fácil a comparação entre o rei de Tiro e Adão. Compare Ezequiel 28 com Genesis1 e 2.

1 de janeiro de 2016 19:51

eu já estudei esse assunto sendo ele o primeiro ser a ser criado certamente tudo o que lemos em ezequiel 28:13-15 teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados. Eu te coloquei com o querubim da guarda ele guardava o trono de DEUS claro que ele tinha todo conhecimento de musica sem duvida mas quanto a ser regente ai é outra questão, aambição dele foi mui alem disso ele queria saber como criar do nada quando ele disse que seria semmelhante ao ALTISSIMO.SE VOCE CONHECE O LIVRO DE MELQUISEDEQUE tem algumas referencias embora seja um livro apócrifo gracias.

17 de fevereiro de 2016 18:03

Meu caro colega esse tal de "bom negócio" já nao é um católico que preste muito menos seria um protestante, pois até o nome do dito cujo já é uma péssima referência pois ja se trata de um dos motivos da queda do rei de Tiro "NEGOCIO" vc. Entendeu?
Eu achei muito boa a sua dissertação sobre o assunto. 👏👏👏👍

18 de fevereiro de 2016 18:57

Meus amigos...o certo é que biblicamente nada prova que Lúcifer era regente do coral celestial.....portanto, fiquemos com a Bíblia Sagrada....Ele não era músico e pronto. Quando se fala em Bíblia Sagrada só vale o que é verdadeiro ou corremos o risco de acrescentar ou tirar algo bíblico na Palavra de Deus...e aí encorre-se no risco de ensinar errado e uma alma vale mais que o mundo inteiro....Deixem de contendas e fiquem com a verdade. Pronto. Obrigado.

6 de março de 2016 09:35

Engraçado condenar católicos com pensamentos protestantes e praticamente copiar e colar um texto ADVENTISTA aqui, retirando as citações de Ellen G. White. Se são cristãos de verdade espero que publiquem essa msgm.
Fonte do texto no site adventista com data de 2012, enquanto o texto acima é de 2013:
http://www.adoracaoadventista.com/2012/03/lucifer-regente-do-coro-celestial.html?m=1

9 de março de 2016 09:12

Prezado Adventista Fernando,


O texto foi colocado unicamente para ser REFUTADO PELO ARGUMENTO FAVORÁVEL ( O qual não consta em seu link):





Ezequiel 28 nos diz sobre Lucifer (heilel ben-shachar em hebraico) que:

Ele pertence a ordem dos Querubins, e "a obra dos teus tambores e de teus pífaros estava em ti: no dia em que foste criado foram preparados."

Lúcifer era um músico mestre. Ele deveria usar este dom para a glória de Deus, mas quando se rebelou contra o Senhor e teve que ser expulso do Céu ele prostituiu este dom e começou a usá-lo para o mal ao invés do bem.


A palavra “da guarda”, em Ezequiel 28,14-16, significa literalmente “quem conduz”, visto que, antes da queda de Lúcifer não havia inimigos e nem nada para ser guardado.Ou seja ,ele conduzia a adoração a Deus o que leva a pré-supor que como aferidor de medida ele era o lider em adoração,o querubim mais proximo da perfeição e do amor de Deus.


O texto bíblico ainda comenta sobre “a obra dos tambores e pífaros”. Sua influência na área da música fica clara e nos mostra que Lúcifer era, provavelmente, quem conduzia a orquestra celestial.

Podemos afirmar que de música o diabo entende muito e soube, por algum tempo, como agradar o Senhor com seus louvores. O louvor e a adoração têm que ser prestado com o devido respeito ao Senhor lembre-se dos Serafins (Is.6). Havia postura, reverência e temor naquela adoração e se os anjos preocuparam-se com isso.

“Tu eras querubim da guarda ungido, e te estabeleci; permanecias no monte santo de DEUS, no brilho das pedras andavas”.

DEUS o designou como Querubim Ungido da guarda.



Aqui precisamos considerar três coisas:

1º.O ser “ungido”, significava que ele era escolhido para um propósito especial;

2º.Enquanto “querubim” parece ser a patente mais elevada dos seres celestiais que assentam mais próximo do trono de DEUS e conduzem a adoração.

3º.A expressão “da guarda” no hebraico fala de “cercar”, “proteger”, “cobrir”. Parece que a idéia que temos é que ele regia a adoração dos seus subordinados diante de DEUS.


As referências não são muito claras pois são contextuais. Estudando porém, as traduções do hebraico e um pouco de teologia (exegética),podemos chegar a essas conclusões de maneira mais profundas e claras.

Nosso compromisso é em esclarecer a verdade !

Shalom !!!

10 de março de 2016 12:00

ok, isso quer dizer que tem comércio no céu? já que em Ezequiel 28:5 diz que foi aumentada a sua riqueza pela sabedoria no comércio, justamente pela má interpretação é que se criam doutrinas não bíblicas como o inferno literal, abolição da lei, estado dos mortos, adoração a santos e por aí vai

10 de março de 2016 13:56

Prezado desinformado adventista Fernando,


“Seu coração tornou-se orgulhoso por causa da sua beleza, e você corrompeu a sua sabedoria por causa do seu esplendor. Por isso eu o atirei à terra…” (Ezequiel 28,17)

Ele foi criado como selo da perfeição, cheio de sabedoria e formosura. Era perfeito em seus caminhos, mas achou-se iniqüidade em seu coração. Começou praticar a maldade em seu ministério e chegou ao ponto de achar que seus dons e talentos o faziam maior do que o próprio Deus. Qualquer semelhança com os músicos da terra de hoje em dia é “mera” coincidência. Está escrito: “Filho do homem, levanta uma lamentação sobre o rei de Tiro, e dize-te: Assim diz o Senhor Deus: Tu eras o selo da perfeição, cheio de sabedoria e perfeito em formosura. Estiveste no Éden, jardim de Deus; cobrias-te de toda pedra preciosa: a cornalina, o topázio, o ônix, a crisólita, o berilo, o jaspe, a safira, a granada, a esmeralda e o ouro. Em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados” (Ezequiel 28,12-13).
Seu coração elevou-se por causa de seus dons e chegou a tal ponto que comprometeu até mesmo sua sabedoria. O resplendor que ele ganhou por causa de seus dons afogaram sua sanidade (Ezequiel 28,17).Ele chegou ao ponto de declarar: “… Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono; e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do norte; subirei acima das alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo” (Isaías 14,13-14).
A criatura, que tentou ser maior que seu Criador, cego por suas qualidades, foi precipitada (Conf. Apoc 12) e seu fim decretado, tornando-se Satanás(Ad versário). Nisto, ele levou consigo uma terça parte dos anjos, devido ao comércio que fez com seus dons (Capacidade de persuasão), em tal intensidade que o tornou violento e pecador (Ezequiel 28:16 e Apocalipse 12,4).

A Igreja honra de um culto de adoração a pessoa de Cristo; de um culto de superveneração a Imaculada Mãe de Deus, e de um culto de veneração aos santos. Guerra, pois aos santos. O protestantismo não possui santo nenhum! Então, gritam: "são ídolos... adoram as imagens... são idólatras!"


Continua...

10 de março de 2016 13:56

Por que uma imagem de GESSO bota mais gente a seguir Cristo que um pastor Berrando ?



Detalhe: À frente de toda Imagem em qualquer procissão vai a cruz processional de bronze, comparando-a serpente de bronze que curava no antigo testamento.Cristo disse-nos profeticamente: Quando eu for erguido atrairei todos a mim,desta forma seguimos a apenas o exemplo de Santidade do Santo,no seu seguimento a Cristo, simples assim como Paulo disse:

"Sede meus imitadores como eu sou de Cristo" : I Cor 11,1


Pergunta que não cala:Será que os Católicos seguem a imagem, ou o exemplo de quem ela representa no seguimento de Cristo ?




Ora os Santos e Maria Santíssima a mãe de Deus e da Igreja (Pois Cristo é Deus, e não nasceu de xocadeira, e se Maria é mãe da cabeça é mãe também dos membros) são exemplos fieis de seguimento por isto como Paulo na passagem acima,podem nos pedir para imitar seus modos de autêntco seguimento desinteressado e gratuito a Cristo, sem esperar nada de bens materiais em troca como fazem os protestantes.



E é por isto que uma procissão com uma Imagem que não ouve , não ver e não fala arrebanham mais pessoas que um pastor berrando, pois as pessoas na procissão não seguem a imagem, mas o exemplo de seguimento a Cristo fiel e radical a Cristo.



Algum pastor protestante tem a coragem de fazer o que São Francisco fez ? Deixar tudo para seguir a Cristo ? Duvido!!!Pergunto-lhes:O que é melhor ? Seguir o exemplo de vida Cristã do Santo representado na Imagem ? Ou de um pastor ladrão ? Interessado mais no dízimo do rebanho do que a salvação delas ?


Continua...

10 de março de 2016 13:57

A Bíblia reza no livro de Josué: "Josué prostrou-se com o rosto em terra DIANTE DA ARCA DO SENHOR, e assim permaneceu até à tarde, imitando-o todos anciãos de Israel" (Jos 7, 6).



Terão sido idólatras Josué e os anciãos de Israel?


1)- Para ser CONSIDERADO IDOLATRIA : Teríamos que achar que os três elementos: Deus o santo e a imagem são a mesma coisa.

2)- Nunca se ouviu algum católico defendendo que o Santo era Deus, logo não existe Idolatria.

3)- Se Considerar que a prostração diante das Imagens Santas é Idolatria, então Josué e os anciãos de Israel teria, cometido Idolatria, logo qualquer relação com Idolatria está descartada.


4)- Para se dizer que os católicos adoram os santos, eles teriam que dizer que S. Francisco, por exemplo, não é S.Francisco, mas Deus.

5)- E, ainda mais difícil, os católicos teriam que afirmar que S. Francisco é a própria estátua.

6)- Nisto demonstra que somos mais esclarecidos que os protestantes, pois para os protestantes a imagem eles consideram o próprio Deus,o que não se aplica aos Católicos esclarecidos.

7)- Nenhum católico acredita que o santo seja Deus ou que ele seja a madeira da estátua (como uma divindade). Logo, não há idolatria possível, (visto que esta consiste em adorar um falso deus , portanto um ídolo).Os Santos foram apenas Imitadores perfeitos de Cristo.


8)- Nas imagens sacras e obras de arte católicas se representam os santos, que são pessoas que possuem virtudes que os tornam "imitadores" de Cristo, como aconselhou o próprio S. Paulo em I Coríntios 11:1.


Mais clareza, só cego para não querer ver e entender, o que seria puro orgulho espiritual e falta de humildade, que são atitudes não Cristãs.



Como Católicos em nossas fraquezas e limitações humanas que são muitas, fazemos como Paulo:

“Então, Ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza (astheneia). De boa vontade, pois doravante, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo.” (2 Coríntios 12,9).


AVISO AOS PROTESTANTES SEPARATISTAS :

1Jo 2,19 - "Eles Saíram do nosso meio, mas não eram dos nossos; pois, se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido conosco. Mas, [saíram] para que se mostrasse que nem todos são dos nossos, nem do número dos eleitos.


LUCAS 16,13: “Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou odiará a um e amará a outro, ou se prenderá a um e desprezará o outro. Não podeis servir simultaneamente a Deus e a Mamon...”


28 de março de 2016 22:11

KKKKKKK, MISERICÓRDIA, LUCIFER É ERRO DE TRADUÇÃO , ISAIAS 14 TA FALANDO DO REI DA BABILONIA, SE DÚVIDA, LEIAM O CAPÍTULO INTEIRO, KKKKKKKK

29 de março de 2016 08:43

Prezado Luciano Sartori,

Estamos diante de uma questão que não é dogma, portanto, está ao encargo do estudo dos TEÓLOGOS (Católicos, Protestantes e Ortodoxos) o aprofundamento da questão. Não podemos a priori fazer afirmações de ser ou não ser, pois vários elementos não permitem fazer isto, se não vejamos:


Lucifer, rei de Tiro ou de Babilonia?

Ezequiel 28,11-19:


"Veio mais a mim a palavra do Senhor, dizendo: Filho do homem, levanta uma lamentação sobre o rei de Tiro, e dize-te: Assim diz o Senhor Deus: Tu eras o selo da perfeição, cheio de sabedoria e perfeito em formosura. Estiveste no Éden, jardim de Deus; cobrias-te de toda pedra preciosa: a cornalina, o topázio, o ônix, a crisólita, o berilo, o jaspe, a safira, a granada, a esmeralda e o ouro. Em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados. Eu te coloquei com o querubim da guarda; estiveste sobre o monte santo de Deus; andaste no meio das pedras afogueadas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que em ti se achou iniqüidade. Pela abundância do teu comércio o teu coração se encheu de violência, e pecaste; pelo que te lancei, profanado, fora do monte de Deus, e o querubim da guarda te expulsou do meio das pedras afogueadas. Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei; diante dos reis te pus, para que te contemplem. Pela multidão das tuas iniqüidades, na injustiça do teu comércio, profanaste os teus santuários...”

Um rei no Jardim do Édem ? e com o selo da perfeição?

O nome Lúcifer ocorre uma vez nas Escrituras e apenas em algumas versões da Bíblia. Por exemplo, a tradução de Antônio Pereira de Figueiredo verte Isaías 14,12: “Como caíste do céu, ó Lúcifer, tu que ao ponto do dia parecias tão brilhante?”
O substantivo Lúcifer ocorre seis vezes na Vulgata, versão latina da Bíblia, e uma vez em algumas Traduções da Bíblia em língua portuguesa. Lúcifer se refere literalmente à "Estrela da Manhã" ou "Estrela D'Alva", à "luz da manhã",aos "signos do zodíaco", e à "aurora" ou, metaforicamente, ao "rei da Babilônia",ao sumo sacerdote Simão, filho de Onias,à Glória de Deus,ou a Jesus Cristo, no livro de apocalipse (Apoc 22,16) se auto denomina "resplandescente estrela da manhã", o que é diferenciado quando o termo é usado separadamente "estrela da manhã" como "poder sobre nações". (Apocalipse 2,28 e 26) (Isaías 14,12)

Traduções Brasileiras da Bíblia:
“ E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos corações. ” (2 Pedro 1:19 Tradução Almeida Fiel).


É por esta razão que é possível encontrar pessoas com nome "Lúcifer" entre os primeiros cristãos, sendo o exemplo mais famoso São Lúcifer, bispo de Sardenha, onde existe a única igreja à São Lúcifer conhecida no Cristianismo.


Continua...

29 de março de 2016 08:45

E sobre o rei da Babilônia?

Na tradução de Figueiredo verte Isaías 14:12: "Como caíste do céu, ó Lúcifer, tu que ao ponto do dia parecias tão brilhante?"

Lúcifer (do latim Lux fero, portador da Luz, em hebraico, heilel ben-shahar, הילל בן שחר; em grego na Septuaginta, heosphoros) significa "o que leva a luz", representando ao portador de luz, o planeta Vênus, que é visível antes do alvorecer. Provém duma raiz que significa "brilhar" (Jó 29:3), e aplicava-se a uma metáfora aplicada aos excessos de um "rei de Babilônia", não a uma entidade em si, como afirma o pesquisador iconográfico Luther Link: "Isaías não estava falando do Diabo. Usando imagens possivelmente retiradas de um antigo mito cananeu, Isaías referia-se aos excessos de um ambicioso rei babilônico."A expressão hebraica (heilel ben-shahar) é traduzida como "o que brilha", nas versões NM, MC, So. A tradução "Lúcifer" (portador de luz), (Fi, BMD) deriva da Vulgata latina de São Jerónimo e isso explica a ocorrência desse termo em diversas versões da Bíblia.

Mas alguns argumentam que Lúcifer seja Satanás e por isso, também foi o nome dado ao anjo caído, da ordem dos Querubins (Ez 28.14). Assim, muitos nos dias de hoje, numa nova interpretação da palavra, o chamam de Diabo (caluniador, acusador), ou Satã (cuja origem é o hebraico Shai'tan, Adversário.De acordo com São Jerônimo, um dos primeiros tradutores das escrituras do Grego e Hebraico para o Latim, língua comum de sua época, Lúcifer era o nome do principal anjo caído, e seu nome em hebraico, helel, é derivado do verbo lamentar, pois ele lamenta a sua queda e a perda do seu brilho. Esta visão prevaleceu entre os Padres da Igreja, de forma que Lúcifer não fosse o nome próprio do diabo, mas apenas o seu estado anterior à queda.


Continua...

29 de março de 2016 08:45

Quem é esse Lúcifer?

O termo “brilhante”, ou “Lúcifer”, é encontrado na “expressão proverbial contra o rei de Babilônia” que Isaías ordenou profeticamente que os israelitas proferissem. De modo que faz parte duma expressão dirigida à dinastia babilônica. Que o termo “brilhante” é usado para descrever um homem e não uma criatura espiritual é notado adicionalmente na declaração: “No Seol serás precipitado.” Seol é a sepultura comum da humanidade — não um lugar ocupado por Satanás, o Diabo. Além disso, os que vêem Lúcifer levado a essa condição perguntam: “É este o homem que agitava a terra?” É evidente que o termo “Lúcifer” se refere a um humano, não a uma criatura espiritual. (Isaías 14,4.15-16).


Por que se dá tal ilustre descrição à dinastia babilônica?

Temos de dar-nos conta de que o rei de Babilônia seria chamado de brilhante apenas depois da sua queda e de forma escarnecedora. (Isaías 14,3) O orgulho egoísta induziu os reis de Babilônia a se elevarem acima dos que estavam em sua volta. A arrogância da dinastia era tão grande, que ela é retratada fazendo a seguinte declaração jactanciosa: “Subirei aos céus. Enaltecerei o meu trono acima das estrelas de Deus e assentar-me-ei no monte de reunião, nas partes mais remotas do norte. . . . Assemelhar-me-ei ao Altíssimo.” (Isaías 14,13-14).As “estrelas de Deus” são os reis da linhagem real de Davi. (Conforme Números 24,17) A partir de Davi, essas “estrelas” governavam desde o monte Sião. Depois de Salomão construir o templo em Jerusalém, o nome Sião passou a ser aplicado a toda a cidade. Sob o pacto da Lei, todos os varões israelitas tinham a obrigação de viajar três vezes por ano a Sião. De modo que se tornou o “monte de reunião”. Por decidir subjugar os reis judeus e depois removê-los daquele monte, Nabucodonosor declara sua intenção de se colocar acima dessas “estrelas”. Em vez de atribuir a Deus o mérito dessa vitória sobre eles, coloca-se arrogantemente no lugar de Deus. Portanto, é depois da sua queda que a dinastia babilônica é chamada zombeteiramente de “brilhante”.A arrogância dos governantes babilônicos realmente refletia a atitude do “deus deste sistema de coisas” — Satanás, o Diabo. (2 Coríntios 4,4) Ele também anseia ter poder e deseja colocar-se acima de Javé o nosso Deus. Nada impede no entanto de os profetas e escritores da bíblia terem querido fazer uma ANALOGIA com satanás do livro do Gênesis.


Esperando ter lhe ajudado em seus estudos,

Shalom !!!

17 de abril de 2016 20:10

LÚCIFER ERA O QUERUBIM MAIS PODEROSO NO CÉU, SE ELE NÃO TIVESSE PODER, JAMAIS SE LEVANTARIA CONTRA DEUS. ALGO EM LÚCIFER O FEZ PENSAR QUE TINHA PODER PARA ENFRENTAR DEUS - O CRIADOR!

QUANTO A MÚSICA, ESTÁ CLARO, ELE ERA MAESTRO DA ORQUESTRA CELESTIAL.

UM ANJO FRACO, SEM FORÇAS, JAMAIS SE LEVANTARIA CONTRA DEUS. SE LÚCIFER ENFRENTOU DEUS, É PORQUE ELE POSSUIA MUITO PODER. NÃO É MAIS FORTE DO QUE DEUS, É CLARO......MAS É MAIS FORTE QUE OS OUTROS ANJOS, POR ISSO, MIGUEL LHE DISSE:

______O SENHOR TE REPREENDA, SATANÁS!

Judas 1:9
.
.
MIGUEL RECONHECIA QUE LÚCIFER POSSUIA A MAIS ALTA CLASSE NA HIERARQUIA ANGÉLICA!

.
.
.
SE, LÚCIFER NÃO TIVESSE PODER, JAMAIS ENFRENTARIA DEUS !!!
.
.
.

1 de abril de 2017 23:44

Só pra constar... Estou acompanhando meu esposo nas missas e sou a ÚNICA que consegue conversar ou discutir algo com o padre! Quem é o ignorante????

3 de abril de 2017 09:59

Prezada protestante anônima e envergonhada da fé que professa,

Explique melhor o seu caso para podermos lhe dar uma resposta...

Shalom !!!

Postar um comentário

Conforme a lei o blog oferece o DIREITO DE RESPOSTA a quem se sentir ofendido, desde que a resposta não contenha palavrões e ofensas de cunho pessoal e generalizados.Serão analisadas e poderão ser ignoradas e ou, excluídas.

Quem sou eu?

Minha foto
CIDADÃO DO MUNDO, NORDESTINO COM ORGULHO, Brazil
Neste Apostolado promovemos a “EVANGELIZAÇÃO ANÔNIMA", pois neste serviço somos apenas o Jumentinho que leva Jesus e sua verdade aos Povos. Portanto toda honra e Glória é para Ele.Cristo disse-nos:Eu sou o caminho, a verdade e a vida e “ NINGUEM” vem ao Pai senão por mim." ( João, 14, 6).Como Católicos,defendemos a verdade, contra os erros que, de fato, são sempre contra Deus.Cristo não tinha opiniões, tinha verdades, a qual confiou a sua Igreja, ( Coluna e sustentáculo da verdade – Conf. I Tim 3,15) que deve zelar por elas até que Cristo volte.Quem nos acusa de falta de caridade mostra sua total ignorância na Bíblia,e de Deus, pois é amor, e quem ama corrige, e a verdade é um exercício da caridade.Este Deus adocicado,meloso,ingênuo, e sentimentalóide,é invenção dos homens tementes da verdade, não é o Deus revelado por seu filho: Jesus Cristo.Por fim: “Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é nega-la” - ( Sto. Tomáz de Aquino)

As + lidas!

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2013. O BERAKÁ - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger